Mormon Newsroom
Comunicado de Imprensa

Centenas de ações por todo o Brasil marcaram um Dia em Defesa e Promoção da Liberdade Religiosa

O início da restauração e história de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ficou marcado pela perseguição religiosa dos primeiros membros – chamados e mundialmente conhecidos como os “Pioneiros Mórmons”. Nesse período, uma das revelações dadas ao mundo por meio do Primeiro Presidente da Igreja, Joseph Smith, conhecida como 11ª Regra de Fé, declara: “Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência; e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem”. Baseada nessa crença, daquela época em diante e principalmente nos dias atuais, a Igreja tem dado grande ênfase na Defesa da Liberdade Religiosa.  

Seguindo esse conceito, de respeitar ao próximo e com o propósito de fortalecer o relacionamento inter-religioso, é que no dia 25 de Julho, foi realizado o Projeto Nacional Mãos que Ajudam a Promover e Defender a Liberdade Religiosa - Proposta prática e evidente que os santos dos últimos dias apoiam o tema.

Motivados pelos coordenadores do Programa Mãos que Ajudam e líderes eclesiásticos da Igreja, voluntários e amigos incluindo membros de outras religiões fizeram pequenas reformas e pinturas em diversas instituições religiosas, tais como: Igrejas Católicas e Igrejas Batistas, Evangélica Quadrangular, Assembléia de Deus, do Candomblé, Harecrichnas, Centros Espíritas, além de beneficiarem, de diversas maneiras, entidades mantidas por tais denominações religiosas em todo o Brasil. Antes e durante essa data histórica, que culminou com centenas de ações por todo canto do País, como forma de estreitar laços de compreensão, foram realizados devocionais e fóruns inter-religiosos em parceria com todas as esferas do poder público, lideranças políticas, empresariais, comunitárias e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

As iniciativas emocionaram e edificaram a fé daqueles que participaram. Todos foram beneficiados, já que quem doa, se alegra e quem recebe, também. A gratidão do padre Kelmo, da Igreja Ortodoxa, contemplada na região da Estaca Alvarenga, São Paulo, era grande: “Estamos vivendo um experiência única com nossos irmãos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Para mim, foi um presente de Deus toda essa acolhida. Faz pouco tempo que cheguei nessa comunidade e com tantas dificuldades, não sabia por onde começar. Esses irmãos chegaram e realizaram esse trabalho belíssimo. A partir daí, vamos desenvolver trabalhos juntos, vamos nos conhecer melhor. Nossas Igrejas precisam desse diálogo inter-religioso, dessa aproximação, esquecendo as diferenças doutrinárias, mas olhando o Cristo que é comum a todos os cristãos”.

O espírito de amor, cordialidade e amizade é o que fica! Independente da religião que as pessoas decidem seguir, assim como aqueles que não desejam acreditar ou seguir nenhum credo, todos estão amparados por direito previsto na Constituição e mais do que isso, por uma Lei Divina – o Livre Arbítrio.   

Na abertura do evento, na manhã do sábado quando nem a chuva em São Paulo impediu os voluntários de apoiarem a iniciativa, o conselheiro da Estaca Perdizes, presidente Jonas Nascimento, disse: “Embora a discussão do tema liberdade religiosa, pareça  nova, a perseguição religiosa faz parte da história da Igreja e por isso, temos que fazer ações em defesa dessa liberdade. Uma das coisas importantes desse projeto é que a maioria dos voluntários servindo hoje aqui são jovens e eles que serão os futuros líderes da Igreja, já com essa consciência".

Na ocasião, representantes do Asilo Morada São João, da Fraternidade Irmã Clara e Associação Cristã de Moços – que receberam doações, foram homenageados pelos serviços prestados à sociedade. Eles ganharam um cartão assinado por todos os membros desta unidade da Igreja.

Dr. Jader Freire de Macedo Júnior e Dr. Edson Brandão, vice-presidente e respectivamente secretário da OAB São Paulo, discursaram no devocional. “Respeito e harmonia é o que estamos vendo aqui nessa Igreja. O que vocês estão fazendo hoje em todo o Brasil é impar, um exemplo para as demais religiões. O Mãos que Ajudam faz a única coisa que faz com que as coisas funcionem, Fazer!”

Veja como foi o projeto em Tupã-SP:

Do outro lado do País, vendo um desses projetos feitos no Abrigo João de Deus, de Belém do Pará, Maria Alves, escreveu no Facebook Oficial da Igreja: “Recebi uma vez a visita de dois rapazes e adorei. Depois mudei de bairro e não recebi mais aqueles irmãozinhos, mas gostaria de fazer parte dessa Igreja. Do dia em que me visitaram passei a ver a vida com outros olhos, então se alguém de Lins puder me visitar eu agradeço”.

No Nordeste, dezenas de ações aconteceram. No Recife, por exemplo, voluntários trabalharam no Asilo Cristo Redentor – mantido pela Igreja Católica. O local atende mais de 140 idosos. No Piauí, Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe, Ceará os voluntários empenharam-se em muitos projetos. Não foi diferente no Centro-Oeste e no Sul – cujos voluntários além de trabalhar nessa ação, há dias, servem para aliviar os sofrimentos dos desabrigados atingidos pelas enchentes da região. Na capital do Rio Grande do Sul, desde o início das cheias, os voluntários estão empenhados no trabalho desenvolvido junto com a Defesa Civil. Em Santa Catarina e Paraná, ações diversas aconteceram - Em Joinville, o projeto foi realizado em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil. Outras regiões como Cuiabá, Campo Grande e Ponta Porã, não ficaram de fora. A certeza é que nos quatros cantos do Brasil, voluntários uniram-se e fizeram a diferença. No Estado de Minas Gerais, voluntários na capital e em cidades do entorno como Contagem e do interior como Sete Lagoas, Uberlândia, Uberaba e Juiz de Fora também abraçaram a causa.     

Movido por um espírito de entendimento e altruísta, o pequeno Matheus Siqueira, de 12 anos, participou de uma ação no Distrito Federal e foi entrevistado por uma equipe de reportagem da Band. Ele ensinou: “Podemos ser livres, cada um ter a sua religião e aqui na nossa, não temos nenhuma dificuldade de ajudar os outros”. Após o término da apresentação da matéria no Jornal Band Cidade, o apresentador Márcio Campos ressaltou: “O mais bacana desse projeto, é que em época de intolerância, inclusive religiosa, fiéis de diferentes religiões, se unem para fazer o bem".

No encerramento do projeto no Rio de Janeiro, a unidade de Jacarepaguá foi palco para o Primeiro Encontro de Corais de Liberdade e Valores Religiosos (ENCOLIVRE), formado por integrantes de várias religiões. Líderes religiosos e um público de mais de 1.200 pessoas lotaram o espaço da Capela para prestigiar o evento musical. Michael Ribeiro, membro da Igreja Adventista do 7º Dia destacou: “ Sempre fui um admirador da Igreja Mórmon. Hoje conhecemos melhor vocês e agora posso dizer que minha admiração e respeito aumentaram significativamente. Somos todos irmãos.”

A cobertura de mídia foi ampla em todas as regiões. Acompanhe abaixo e em anexo alguns exemplos de notícias e fotos

Rio de Janeiro
•    TV Band

Recife
•    TV Globo

Campos-RJ
•    TV Globo
•    G1

Sergipe
•    TV Globo

Bagé  
•    TV Globo (RBS)

Porto Alegre  
•    TV Globo -

Rio Grande
•    Jornal Agora

Itaquaquecetuba
•    TV Globo

Macapá
•    G1

Campo Grande
•    Topmídia News

Alagoas -
•    Tribuna Hoje

•    Todo Segundo

•    Sete Segundos

•   Cada Minuto

•    Tribuna do Sertão

•    Blog Cada Minuto

Maringá
•    O Diário

Corumbá
•    Folha MS

 Passo Fundo
•    Norte RS

Teresina
•    O Dia

Saiba mais sobre os projetos, notícias e veja dezenas de fotos no facebook Mãos que Ajudam.

Fonte e Fotos- Conselhos de Assuntos Púbicos das cidades participantes e dos Conselhos de Coordenação de Assuntos Públicos  
Internet – Veículos de Comunicação de diversas regiões do país  
Clipping Super Acesso
Texto – Jornalista Voluntária – do Departamento de Assuntos Públicos da Área - Janete Monteiro Garcia

Observação de Guia de Estilo:Em reportagens ou notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, por favor utilize o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome da Igreja, procure on-line pelo nosso Guia de Estilo.