Edições DisponíveisFechar Janela
« Sala de Imprensa
Fechar Janela
Tópico

Crenças Básicas: Por que e de que maneira os mórmons são diferentes?

Muitas vezes as pessoas perguntam a representantes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias se a Igreja está-se tornando mais “comum” com o tempo.

Se o termo “comum” significa que os santos dos últimos dias estão cada vez mais sendo vistos como uma parte colaborativa, relevante e significativa da sociedade — principalmente nos Estados Unidos, onde há agora mais de seis milhões de membros — então, claro que a resposta é “sim”. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, fundada no Estado de Nova York em 1830 com somente seis membros, é hoje a quarta maior igreja dos Estados Unidos de acordo com estimativas independentes.

Seus membros podem ser encontrados em todas as classes da sociedade: nos negócios e na agricultura, na área educacional e científica, no governo e em partidos políticos, na indústria de entretenimento e na mídia jornalística. Na verdade, as pessoas estão muito mais familiarizadas com amigos santos dos últimos dias, vizinhos e colegas de trabalho do que com a instituição da Igreja em si ou seus ensinamentos. Isso também se aplica a muitas outras nações fora dos Estados Unidos.

Se a descrição de “comum” significa que a Igreja perdeu a distinção de suas crenças que são o âmago de sua mensagem, a resposta é diferente. Ainda que respeitando as opiniões divergentes de pessoas de outras religiões, os líderes da Igreja querem deixar bem claro que suas crenças ajudam a definir os santos dos últimos dias.

Os seguintes tópicos são algumas das diferenças mais importantes em termos de crença e prática entre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e as demais igrejas cristãs.

Restauração

Os santos dos últimos dias acreditam que a autoridade apostólica divina foi perdida depois da morte dos antigos apóstolos, por isso uma restauração daquela autoridade foi necessária. Os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias acreditam que essa restauração começou no início dos anos 1800 com revelações ao jovem Joseph Smith.

Trindade

Entre as mais importantes diferenças com as igrejas cristãs estão aquelas referentes à natureza de Deus, de Jesus Cristo e do Espírito Santo. Juntos, eles formam o que é comumente conhecido como a Santíssima Trindade em muitas igrejas e como a Deidade pelos santos dos últimos dias.

Profetas modernos, revelação contínua e novas escrituras

Os santos dos últimos dias acreditam que Deus ainda fala aos homens, que Ele chamou novos apóstolos e profetas e que a revelação acontece hoje tal como antigamente. Além disso, muitas dessas revelações foram formalmente incorporadas a novos volumes de escrituras. Entre elas está o Livro de Mórmon: Outro Testamento de Jesus Cristo; Doutrina e Convênios, uma coleção de revelações a Joseph Smith e a outros presidentes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias; e A Pérola de Grande Valor, que inclui os escritos de Moisés e Abraão assim como escritos modernos de Joseph Smith.

Plano de salvação

A teologia dos santos dos últimos dias inclui o que os mórmons chamam de “plano de salvação”. O tópico cobre o estado pré-mortal de toda humanidade, as razões porque Deus criou o mundo, a natureza e o propósito de nossa vida aqui e o que o futuro nos reserva na próxima vida.

Os templos e seu propósito

O propósito principal do templo é a obra de “selar” ou unir as famílias, com a expectativa de que esse relacionamento continue além da morte. As mesmas cerimônias realizadas pelos vivos podem ser feitas em favor dos mortos. Em outras igrejas cristãs não há cerimônias equivalentes às do templo.

Programa missionário

Eis uma diferença na prática mais do que na doutrina, já que muitas igrejas cristãs enviam missionários para pregar o evangelho. Contudo, o programa missionário da Igreja é inconfundível e reconhecido pelo grande número e a distribuição de missionários, pela extensão e variedade de seus serviços, por sua aparência e pela pregação do evangelho restaurado.

Ministério leigo

A Igreja de Jesus Cristo não tem um clero profissional em tempo integral para liderar a congregação. Mesmo nos cargos com mais destaques na Igreja, os líderes que são chamados como apóstolos em tempo integral renunciam a sua profissão, na qual recebem melhor remuneração, para servir em um chamado vitalício como “testemunhas especiais de Jesus Cristo” e supervisionar a Igreja no mundo.

Hábitos de Saúde

Entre as denominações religiosas, a abstinência de bebidas alcoólicas não é prática exclusiva dos santos dos últimos dias. Entretanto, dos santos dos últimos dias espera-se a abstinência total de álcool, assim como a abstinência do fumo, chá preto e café.

Observação de Guia de Estilo: Em reportagens sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, favor utilizar o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome da Igreja, procure on-line por nosso Guía de Estilo.