Anunciada maior flexibilidade para as agendas diárias dos Missionários Mórmons

Anunciada maior flexibilidade para as agendas diárias dos Missionários Mórmons

Comunicado de Imprensa

As mudanças estão chegando aos horários diários de missionários de tempo integral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O anúncio foi feito quarta-feira, 25 de janeiro de 2017, após a aprovação pela Primeira Presidência e pelo Quórum dos Doze Apóstolos. Missionários em todo o mundo, em conselho com seus presidentes de missão, poderão personalizar seus horários levando em conta a segurança, cultura, saúde, produtividade e outras necessidades.

 

"A mudança mais significativa na programação vai dar aos missionários e também aos presidentes de missão a liberdade de tomar as decisões e ajustes necessários no trabalho diário do missionário", disse o Élder Dallin H. Oaks, do Quórum dos Doze Apóstolos.

Os missionários Santos dos Últimos Dias normalmente se levantam às 6h30 da manhã para fazer exercícios, tomar banho, tomar o café da manhã e estudar antes do proselitismo durante o dia. Regressam às suas habitações por volta das 21h. Estes horários serão agora mais flexíveis, dependendo da cultura do país onde os missionários estão a servir.

Por exemplo, os missionários na América Latina talvez precisem sair e retornar aos seus aposentos mais tarde. A cultura, em algumas nações africanas, pode exigir que os missionários saiam e voltem aos seus apartamentos mais cedo.

O dia de preparação missionária também será ajustado para permitir mais flexibilidade e tempo para lavar roupas, compras, comunicação com a família e com presidente da missão, exercício e participação em atividades recreativas.

"O que que eu amo neste novo cronograma é que permite aos missionários exercer sua escolha para determinar como usar melhor seu tempo", disse a irmã Bonnie L. Oscarson, presidente geral das Moças e membro do Conselho Executivo Missionário. "Isso mostra que o Senhor confia que eles usarão seu tempo com sabedoria".

"Eu acho que algo intrigante sobre isso é que esta é uma Igreja mundial e com um tamanho que não se encaixa a todos", explicou o Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos. "Então, poder ser capaz de fazer esse ajuste em áreas e missões, é muito significativo."

Os líderes da Igreja acreditam que a mudança de política vai melhorar a saúde e a produtividade dos missionários, bem como fornecer benefícios pós-missão.

"Isso permitirá que os missionários, depois da missão, façam essa transição suave em sua vida e tenham a mesma flexibilidade e os mesmos objetivos de continuar a orar e ler suas escrituras e permanecer perto do Senhor em sua vida", disse Elder Brent H. Nielson, diretor executivo do Departamento Missionário da Igreja.

A Igreja também está simplificando o relatório de informação missionária relacionado àqueles que estão ensinando. Esses "indicadores-chave" incluem o número de pessoas que encontram para ensinar, os que freqüentam a igreja, os que estão sendo ensinados, que estabeleceram uma data para o batismo e aqueles que são batizados e confirmados na Igreja.

Atualmente, existem mais de 71.000 missionários servindo em 422 missões em todo o mundo.

Observação de Guia de Estilo:Em reportagens ou notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, por favor utilize o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome da Igreja, procure on-line pelo nosso Guia de Estilo.